Material feito com lodo poderá ajudar no tratamento de efluentes

Atualizado: 19 de jul.


O lodo gerado por Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs), que normalmente é descartado em aterros sanitários, poderá ganhar uma nova e nobre função: auxiliar na limpeza de efluentes, resíduos gerados pelas atividades humanas que são tratados antes de serem lançados nos rios. Isso é o que mostra um estudo realizado por pesquisadoras do Instituto de Química (IQ) da Unesp, em Araraquara. Elas reaproveitaram o lodo para produzir um novo material com propriedades magnéticas que se mostrou capaz, em conjunto com peróxido de hidrogênio (água oxigenada) e luz solar, de degradar no laboratório resquícios de antibióticos presentes no efluente da cidade, além de desinfectá-lo removendo coliformes, bactérias e outros compostos orgânicos. Saiba mais em: https://www.iq.unesp.br/#!/noticia/853/material-feito-com-lodo-podera-ajudar-no-tratamento-de-efluentes/