Método usa fungos e melaço para extrair alumínio da bauxita

Atualizado: 19 de jul.


Pesquisadores do Instituto de Química (IQ) da Unesp, em Araraquara, criaram um processo inédito e de baixo custo para extrair alumínio da bauxita, rocha abundante no Brasil. O novo método proposto, que por enquanto foi testado apenas em laboratório, utiliza fungos cultivados em melaço de cana-de-açúcar para retirar o metal das rochas. Eficiente e econômica, a alternativa deverá gerar menos impactos ao meio ambiente em comparação com as técnicas tradicionais, além de ser uma opção mais sustentável para recuperar o alumínio presente na bauxita ou em outras fontes que contêm o metal. “Mesmo em pequena escala, conseguimos obter um grande resultado com essa abordagem. É um passo importante”, celebra a professora Denise Bevilaqua, vice-diretora do IQ e uma das autoras do estudo, que foi publicado na revista científica internacional Brazilian Journal of Microbiology. O novo processo também foi patenteado pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). Saiba mais em: https://www.iq.unesp.br/#!/noticia/848/metodo-usa-fungos-e-melaco-para-extrair-aluminio-da-bauxita/