Cientistas da Unesp estudam uso de conservantes em cosméticos


Uma preocupação que sempre esteve presente na rotina de quem utiliza cosméticos é a fórmula desses produtos, já que os consumidores buscam por soluções eficazes e, ao mesmo tempo, seguras. Em praticamente todos os cosméticos, são adicionados conservantes para manter a qualidade microbiológica desses produtos durante a fabricação, armazenamento e todo o período de uso até seu prazo de validade. Com isso, o usuário tem sua segurança garantida, pois essas substâncias são capazes de proteger contra vírus, bactérias e fungos que podem contaminar os cosméticos.

No entanto, embora os conservantes sejam utilizados em pequenas concentrações, eles são considerados um dos principais fatores causadores de alergias. Diante da grande variedade dessas matérias-primas e das diversas campanhas publicitárias que são feitas anunciando possíveis benefícios ou prejuízos gerados por essas substâncias, estudos aprofundados sobre o tema são essenciais, ainda mais depois da pandemia da Covid-19, que mudou alguns hábitos da população, a qual, por conta do longo período reclusa em suas casas, passou a ter mais tempo para se dedicar a outras questões, como a aparência, com a aplicação de diversos cosméticos.

Na Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF) da Unesp, em Araraquara, cientistas se debruçam sobre o tema e estudam essas matérias-primas com o objetivo de contribuir para o debate mais aprofundado sobre seu uso. Uma pesquisa de doutorado defendida recentemente comparou a toxicidade de diferentes conversantes, entre eles, os parabenos, que nos últimos anos foram tirados de circulação por conta de alguns estudos que anunciavam que eles poderiam ser tóxicos, resultando na sua substituição por outros compostos. No entanto, para a surpresa dos pesquisadores, comparando os parabenos com essas outras substâncias utilizadas atualmente, constatou-se que eles ainda seriam mais seguros e menos agressivos. Saiba mais em: https://www2.fcfar.unesp.br/#!/noticia/574/cientistas-da-unesp-estudam-uso-de-conservantes-em-cosmeticos